Tecnologia: cientistas criam robô que faz sexo… e até bate papo depois!


Eles dizem que a robô é tão “humana” que só falta discutir a relação…

robo mulher que faz sexo 300x168 Tecnologia: cientistas criam robô que faz sexo... e até bate papo depois!
Os chineses estão sempre um passo a frente quando o assunto é tecnologia. E pelo jeito, quando o assunto é sacanagem também. Que o diga essa última invenção que surgiu por lá. Parece brincadeira, mas os fãs de bonecas infláveis podem ficar felizes já que agora existe um modelo que fala, se mexe e até reconhece o dono: uma robô do sexo.

De acordo com o site Orange, a invenção é de uma companhia chinesa Love Sex Company. A mocinha tem pele realística, músculos de silicone e esqueletos de metal cirúrgico. O preço até que não é alto, já que o sujeito vai comprar um troço que fala com ele, transa com ele e nunca fica de TPM por 3 mil libras. E ainda: ele pode escolher o rosto do robô sexual. Como ela pode ser controlada remotamente, a chance de pular a cerca é mínima. Esse xuxuzinho da tecnologia foi apresentado na feira Sex Culture Exhibition de Xi’an, na China.

Abaixo um vídeo da versão japonesa:

http://www.youtube.com/watch?v=3CPlKyllshM

E você, leitor(a)? O que acha dessa nova invenção?

Fonte:Revista Epoca


You can leave a response, or trackback from your own site.

4 Responses to “Tecnologia: cientistas criam robô que faz sexo… e até bate papo depois!”

  1. Marcelo says:

    ahuahuaha
    que o cara não faz quando não tem mulher né bicho, cria ate robô que transa! xDDD

    mas a melhor parte mesmo foram os repórteres sacaneando kkkkkkkkkk
    I am cuming, oh no!
    kkkkkkkkkkkkkk
    hauhau

  2. leonardo says:

    Bate-papo?
    Porra! Já vem com defeito de fábrica?

  3. Silvio says:

    Forever alone…

  4. André says:

    Os repórteres zuando foi demais… KKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Quer deixar seu comentário?

What is 3 + 5 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Responda essa continha, senão o comentário não é registrado! É pra evitar spam, sabe como é, né?